Arquivo da categoria: Tecnologia

Fazendo com o Tio Jobs a mesma coisa que fiz com o Tio Bill.


Quando é que as grandes empresas vão entender que as pessoas querem ser livres?

Anúncios

Vamos sacanear o IPhone?


Tudo que é necessário saber sobre engenharia.


Smartphones?


Senhas, senhas e mais senhas…


Now, it´s time to BE EVIL!


E não é que dá certo? 8-)


You are Visual Basic. You have little respect for common sense.  You are immature, but have recently begun to grow up.
Which Programming Language are You?

A Maçã é para poucos.


Mais um desafio, desta vez enviado pelo parceiro de carteado Bruno Ghunter, do Rio de Janeiro.

“Tá aí faz um post sobre os 200kk de apps da Apple Store. Que em sua grande maioria são inúteis ou repetidos.”

Não gostaria de ficar aqui falando só da Apple Store, que é um assunto limitado, então vamos aumentar um pouco essa discussão e falar sobre a Apple como um todo. A quantidade de aplicativos da Apple Store na verdade é uma grande vantagem da plataforma, e não vejo o fato de existirem aplicações repetidas um problema, uma vez que você pode preferir a interface (telinha) do programa fulano, ou o melhor desempenho do aplicativo beltrano, e ambos realizarem exatamente a mesma tarefa.

O problema da Maça é o preço.

A Companhia dos Steves (Jobs e Wozniak) nasceu em 1976 sob o nome de Apple Computers na Califórnia. Desde o inicio, os sócios queriam marcar presença no mercado de tecnologia com uma visão diferenciada de seus competidores, que prezavam os nerds e o mercado corporativo. Jobs e seu parceiro queriam um computador para seres humanos normais. Ao contrário do que a maioria imagina a primeira interface gráfica de acesso a um computador não é da Microsoft, e sim da Apple, com a sua Apple Lisa em 1983, o primeiro computador a usar interface gráfica e mouse. Capaz de multitarefa não-preemptiva e equipado com poderosos 1MB (1024KB) de memória RAM, em uma época que Bill Gates afirmava que 640k era o suficiente para qualquer tarefa computacional. A Lisa foi um fracasso retumbante no mercado, afinal, pra que seres humanos normais iam querer um computador que não faz merda nenhuma? Jobs aprendeu com esse e alguns outros erros.

Em 1990, uma revolução chamada Word Wide Web (WWW) veio salvar o visionário Jobs e os seus acionistas. Com ela, foi criada o que os mortais chamam de internet hoje em dia, e devido à proliferação da pornografia na rede, agora sim os seres humanos normais tinham um motivo para querer um computador. Bill Gates, sempre um aproveitador, meteu a Microsoft nesse meio com seu Windows e Jobs ainda se recuperava dos diversos fracassos visionários em que tinha se metido (Apple III, Apple Lisa e Apple Newton). Correndo por fora, tínhamos ainda as diversas distribuições de Linux rodando por ai. Como o Linux em geral era um negócio incompreensível para quem tivesse menos de 120 de QI, e com Jobs totalmente descapitalizado e sem moral, nosso amigo Bill comeu o cú do visionário Jobs que entrou cedo demais nesse negócio. Com seu sistema simples e facilmente pirateavel, Gates roubou mais uma idéia e venceu Jobs em seu próprio terreno, e é por isso que usamos essa merda de Windows 7 hoje em dia.

Com o povão sob domínio da Microsoft, Jobs não teve alternativa e elitizou a qualidade.

Todo mundo que tem a coragem de pagar R$ 3.500,00 por um Dual Core 2 com uma maça desenhada na carcaça adora o tal Mac OS X. Não possuo o Mac, pois meu poder aquisitivo não permite, mas diversos amigos meus possuem (to parecendo o Silvio Santos) e não trocam aquilo por nada. Eu mesmo quando vou namorar tecnologia na Fast não deixo de dar uma manuseada nos MacBooks tão bonitinhos e usáveis, mas quando eu olho o preço, me lembro que posso comprar no Edifício Central um Quad Core por R$ 900,00 e instalar um Ubuntu de graça para fazer exatamente as mesmas coisas.

A Microsoft vem fazendo merda atrás de merda e a tendência é a Apple ir ganhando mercado, e com isso baratear seus obviamente melhores produtos. O Mercado de browsers, mesmo com toda a parafernália monopolista da Microsoft já está quase perdido.

A verdade é que eu adoro o meu Ipod, mas eu só comprei porque arrumei um usado baratinho.

%d blogueiros gostam disto: