O Conto da Floresta Estatal Encantada.


Todos os personagens e situações retratadas nessa historinha são ficcionais e qualquer relação entre pessoas e situações reais é mera coincidência.

Era uma vez uma maravilhosa florestinha estatal, sustentada pelo erário publico onde todos os animaizinhos entravam por concurso e tinham estabilidade no emprego. A vida era boa e o estado dava toda a comidinha que os animaizinhos podiam consumir, e a maioria do tempo só existia diversão, contanto que você batesse seu ponto na hora certa. A vida era dedicada à contemplação e a coçar o saco.

Nesta florestinha morava Garibaldo, uma passarinha caxias que vivia enchendo o saco dos animaizinhos que estavam sob seus cuidados, botava os coitados pra trabalhar horas extras infinitas, e enchia os finais de semana e feriados de seu pedacinho da floresta com tarefas intermináveis e enfadonhas.

Ninguém gostava verdadeiramente dela, mas um ou outro animal vivia puxando o saco pra ver se subia na hierarquia da florestinha, sem saber que esta era uma missão inútil, pois a florestinha estatal estava prestes a passar por uma grande crise.

Os problemas começaram quando a terrível bruxa americana chegou, aterrorizando todos os animaizinhos, inclusive nossa heroína. –“Ih, agora fudeu” dizia toda a bicharada –“Acabou a moleza, vamos ter que trabalhar nessa merda!” era o brado retumbante da floresta estatal.

Mas a pobre Garibaldo nunca tinha trabalhado de verdade na vida dela.

O máximo de trabalho que Garibaldo conhecia era dar um esporro aqui, pintar um Excel ali, mas nada que desse grana. A florestinha estatal só escrevia intermináveis resmas de papel inútil e mandava o trabalho de verdade para as fabricas das cidades que sabiam trabalhar. Puxar o saco dos animais mais influentes não era uma opção, porque como era chata para pênis ninguém ia com a cara dela.

Foi então que Garibaldo se lembrou do mais antigo e mais influente Mago da florestinha encantada, Tio Add.

Entrou na cabana do sábio e influente Tio Add e mandou logo a real:

– “Add, preciso de ajuda, pois estou desesperada. A Bruxa Americana quer que eu trabalhe e dê lucro, coisa que não aprendi na minha faculdade nem no cursinho bancado pelo estado, por favor, me salve!”

Add que era sábio e tinha bom coração, se compadeceu da passarinha e respondeu de imediato:

– “Só se me pagar um boquete.”

– “Mas Tio Add, o senhor tem o dobro da minha idade e é casado!”

Add então perdeu a paciência, e revelou a sua mais pura sabedoria:

-“Ah, porra, foi você que veio aqui me pedir. Se quer rir tem que fazer rir. E depois tem que engolir tudinho”.

Garibaldo envergonhada e desolada começou a praticar a felação em Add para manter seu empregão, mas em dado momento sentiu algo estranho em sua boca:

-“Nossa Tio Add, seu pênis está com gosto de escremento!”

-“É que o gerente viado do outro projeto pediu pra que eu renegociasse o contrato dele com a Bruxa Americana.“

Moral da História: Em toda floresta encantada estatal tem um viadinho.

Anúncios

Sobre tremyen

Sou um milhonário exótico que curte falar besteiras pela internet.

Publicado em 19/03/2010, em Desafie o Manel, Revolta Total, Tudão e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. É só botar uma sacanagem que o Blog bomba. Batemos o record de visitas do site em algumas horas. Valeu galera. 😎

  2. Hahahaha!
    Pornochanchada não é mais sacanagem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: