O Guia definitivo da Pornô Chanchada Parte 1.


Contexto Histórico

Após a mudança de serviço, resolvi começar a nova fase do blog com um texto bem leve, sobre um assunto muito bacana que tomou conta não só da minha adolescência, como a de  muitos outros da minha idade, os filmes de comédia com sexo “softcore” que povoou o cinema brasileiro do final da década de 60 até o fim da década de 80.

Pra entender o que é uma pornô chanchada, é necessário voltar um pouco no tempo e entender o contexto do cinema do país antes deste que é um dos únicos movimentos cinematográficos verdadeiramente brasileiros.

Na pré-história do cinema brasileiro existiam três grandes estúdios: O primeiro deles, chamado Cinédia fazia um cinema cópia descarado do que era produzido nos Estados Unidos. Entre os filmes de referência deste estúdio estão “Alô, Alô Brasil” (1935) e “Alô, Alô Carnaval” (1936).

Vendo o sucesso da Cinédia, um segundo estúdio foi criado com o nome de Vera Cruz,  que surge da vontade de alguns diretores de fazer um cinema de melhor “qualidade” do que o cinema meramente importado dos Estados Unidos (que era o sucesso de público da época). Nesse estúdio aparecem os primeiros nomes do famigerado movimento do Cinema Novo, entre eles Lima Barreto e Gláuber Rocha. A principal característica deste estúdio está na cópia descarada de estéticas européias, como o neo-realismo  italiano e a nouvelle vague francesa.

O Terceiro e mais conhecido (até pelo seu sucesso de publico) chamava-se “Atlântida”. Criou uma linha de filmes chamada “Chanchadas”, que eram filmes de comédia musical água-com-açúcar que eram muito populares e com enormes bilheterias, sendo nessa época revelados ídolos que estão por aí até hoje como Carmem Miranda, Oscarito, Grande Otelo, Carlos Machado e Walter D’Ávila. Com o passar do tempo o estúdio evolui das comédias musicais e passa para novos filmes de comédia de costumes, sendo o único a produzir cinema brasileiro para o publico brasileiro, apesar da fortíssima influência norte-americana.

O Movimento do “Cinema Novo”, apesar de ser um sucesso de crítica no exterior justamente por copiar as suas estéticas, era um fracasso retumbante de bilheteria no Brasil, culminando com a falência da Vera Cruz em 1954.  Este movimento endeusado pelos livros de história foi na verdade o movimento que assassinou o cinema brasileiro. Ao contrário do que muitos acreditam a baixa qualidade do cinema nacional não foi criada com as pornôs chanchadas, que apenas viveram o reflexo do fracasso de publico do cinema novo.  A baixa qualidade de áudio e vídeo do cinema nacional, até hoje discutida, é fruto da célebre frase de Glauber Rocha: “Uma idéia na cabeça e uma câmera na mão”.

Com o golpe de 64, o movimento do cinema novo entra em xeque-mate. A sua única qualidade, que era a temática realista, não pode mais vir a tona graças à repressão da censura, e ao fato de todo o financiamento de um cinema que não dá bilheteria vir da farra do dinheiro publico.  Toda critica social é barrada pelo AI-5, e conseqüentemente o cinema novo é sepultado definitivamente.

Nesse contexto os cineastas precisavam trabalhar, e então o cinema inicia um movimento de reencontro com o publico brasileiro, procurando em suas origens o que o povo brasileiro realmente gostava: as chanchadas da Atlântida.  Outro elemento é que as pornôs chanchadas não eram financiadas com o dinheiro da Embrafilme, então tinham que dar lucro para investidores, de modo que os elementos de nudez e sexo softcore eram uma garantia de bilheteria e retorno do investimento.  Nesses momento está criado o terreno para o principal movimento de retomada cinematográfico brasileiro, as Pornôs Chanchadas.

Anúncios

Sobre tremyen

Sou um milhonário exótico que curte falar besteiras pela internet.

Publicado em 04/03/2010, em Cinema, Pornô Chanchada, Tudão e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Agora tô na pilha de fazer um Neurose sobre pornochanchada 🙂

    A propósito, queria ver se você tem um filme, mas não tenho o nome aqui.

  2. Cara, depois do estudo que estou fazendo pra esse guia, devo fazer um pedidão no Putrescine… Vários filmes fodas que eu não vi. 😎

  3. PQP show!

    E bota um RSS feed aí para funcionar.

  4. Clique em “Assinar o Blog”. 😎

  5. Eu só tinha visto o do e-mail, agora vi no rodapé o “Entradas”.

  1. Pingback: Os números de 2010 | O Diário do Babaca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: